13 de julho de 2012

"Sísifos"

Escrito por Kk Moura

Ontem ao folhear o índice de um livro de filosofia do meu pai, vi uma frase de Albert Camus que dizia que o universo não tem sentido, e que a busca pelo sentido é feita pelo homem, já que este possui consciência, entretanto acho que é óbvio que se o homem procura um sentido para a vida que algo infinito como o universo não tem, não há sentido na vida, portanto o homem está em uma constante busca pelo inexistente.

Nossos questionamentos são invalidados perante a filosofia de Camus, tudo o que construímos como correto, verdadeiro, bom, mal... se desfaz em questão de segundos. Você entra em um estado que começa a perguntar se o caminho que está seguindo tem sentido, e após esses questionamentos  depara com a ausência de respostas. Se não há sentido no universo, não haverá perguntas nem tampouco respostas com sentido.
Estamos a toa nesse mundo? Fomos feitos para viver a vida do personagem de Camus em “ o mito de Sísifo”, cuja história é de um homem condenado a levar uma pedra ao alto da montanha, para que esta desça e ele a leve de volta, até a eternidade? Somos Sísifos que comportam como deuses do sentido, da moral e da ética?
Sísifo ao aceitar seu ato sem sentido pode superar as dores da sua existência e da falta de sentido do dever que ele cumpre? Será que aceitando a nossa incapacidade de entender um mundo que não pode ser entendido, poderemos começar a construir algo que um dia possa ser chamado de sentido?
A vida talvez pode ser compreendida, quando aceitarmos que ela nunca será compreensão, verdade, sentido.

0 comentários:

Postar um comentário