8 de dezembro de 2011

Liberte-se das opiniões alheias

Escrito por Rafael Leite
"Deixe que digam, que pensem, que falem...". Bem, só se for na música. Pelo menos na minha vida, a opinião alheia acabava me afetando (MUITO!) nos meus atos. Ao invez de fazer o que queria fazer, acabava fazendo o que as pessoas queriam que eu fizesse... Pra mim, a aceitação dos outros era extremamente importante para o que eu sou...
ERA assim.
Seja livre, não se deixe influenciar pela opinião alheia.
Mesmo que, se eu não me engane, já tenha comentado sobre o assunto aqui no blog, agora acho que é pra valer. Venho percebendo nos últimos dias que não é bem assim, foda-se o que os outros pensam, você é você, ele é ele, eu sou... EU! EU tenho que decidir o que me faz feliz, EU tenho que fazer minhas escolhas, EU tenho que mostrar que a vida é MINHA, não de vocês.
O que adianta agradar o público e não agradar a nós mesmos? Se aqueles que se dizem seus amigos não te aceitam do jeito que você é, então não são seus amigos, simples assim! Faça o que você quer, e não o que eles querem que você faça. Claro que não estou dizendo para não ouvir críticas e sugestões, as vezes as pessoas podem até estar certas, ou não. Ouça o que elas tem que dizer, mas não deixe o modo imperativo da fala delas formarem sua opinião. "Ela é assim, assim, assado, não fique com ela". Mas ela também tem qualidades não citadas na frase. Esses defeitos podem ter mudado, ou eles não influenciam em nada. A 3ª pessoa não querer que o fato aconteça não quer dizer que você não queira. E outra, mesmo que tudo seja verdade, mesmo que os argumentos sejam concretos, se você QUER que o fato aconteça, pra que se influenciar?
Sabe, não é só isso, fico pensando nos estereótipos criados pela sociedade, isso sim que mais me deixa puto. As vezes ficava com medo de tomar certas atitudes por medo de ser encaixado em certos estereótipos e ele ficar algemado a mim. As pessoas tem que ser mais flexíveis e menos generalizantes (se é que essa palavra existe com esse sentido de as pessoas generalizarem).
Falei, falei, falei, mas ah, quer saber de uma coisa, esquece tudo que eu falei e simplesmente FAÇA! O que você tem a perder? Você vai morrer um dia e se arrepender de TUDO que não fez. Apenas FAÇA! Esquece o que os outros dizem, o que os outros pensam, o que os outros falam... Deixa isso pra lá, e FAÇA! O que vier depois você aguenta, e tenho certeza que qualquer coisa não será pior que o sentimento de arrependimento por não ter feito. Além do mais, o que você fizer pode alterar sua vida para melhor! E pensar que seu amigo falou pra você não fazer, hein?! O que seria de você sem você mesmo?
Então fica a minha dica. Não estou sugerindo usar filtro solar. Apenas faça. Se tenho um bom conselho para lhes dar, é este. FAÇA enquanto é tempo!

1 de dezembro de 2011

Bloqueios criativos

Escrito por Rafael Leite
Primeiramente, olá a todos denovo, depois de um longo tempo sem postagens eu voltei! Esses bloqueios criativos que nos temos é simplesmente foda cara. Você não sabe porque, nem como, mas acontece. De uma hora pra outra, puf, as ideias acabaram e os textos param de sair.
Bloqueios criativos: todo mundo tem
Não há uma causa exata para isso, simplesmente acontece... Sei que não é só comigo, são com todos nós. Eu (e acho que boa parte da população possui o mesmo problema) não consigo colocar no papel o que eu penso. Minhas ideias acabam ficando presas na minha cabeça, e acabo ficando assim, sem escrever nada, com nosso projeto do Pense Grande parado. Uma das minhas maiores dificuldades é começar a escrever, é achar um assunto, uma tese para defender. Depois disso, moleza! Agora, as 3 primeiras palavras, vocês nem imaginam o quanto é díficil e o quanto elas são decisivas. Por exemplo agora, eu ia escrever sobre o quanto as pessoas se importam com a opinião alheia e acabei escrevendo sobre bloqueios criativos por conta da minha frase inicial me desculpando pela ausência...
Mas voltando ao assunto do bloqueio criativo, eu queria poder dar dicas para vocês de como vencê-los, mas infelizmente nem eu sei como venci o último, simplesmente aconteceu, depois de várias cobranças do peroba do Igor Batalha (sim, o viado que posta aqui no blog comigo) para eu fazer textos pro blog. Não sei se é porque eu estou feliz hoje (meu dia foi ótimo sim, obrigado por perguntarem) ou se me sinto mais confiante depois de hoje (deixei de lado aquela história de ligar para o que as pessoas pensam, a ideia original para esse post, lembram?). Não sei, simplesmente aconteceu!
Acho que minha dica pra quem tem esses bloqueios criativos é tentar escrever, desenhar, pintar, seja o que for! A partir das tentativas você pode bloquear isso. Tente tomar ideias por textos, ilustrações, desenhos, etc de outras pessoas, faça um texto a partir deles e vai crescendo a partir disso, até você conseguir fazer algo do seu jeito, com o seu estilo, do jeito que sua criatividade (recém-desbloqueada) quiser!
Bloqueios criativos acontecem, temos que tentar superá-los. Bem, acho que superei, e espero não deixar morrer o blog. Só pra garantir, vou fazer o post sobre a gente se importar com a opinião alheia e programar ele pra soltar só semana que vem, haha! Então até semana que vem rapazeada!