8 de setembro de 2011

Sem Chão...

Escrito por Igor Batalha





Os dias foram passando marcando instantes intrigantes e prazerosos que surgiam dentro de mim, refletindo minhas vontades, desejos e mais profundos sonhos, por breves momentos me estabilizei, e logo após me senti tão chulo, sem cor, sem razão, sem um sonho pra alcançar. E nessa oscilação constante, caí em uma enorme dúvida, indeciso e medroso, sem coragem pra dizer o que poucos sabem e alguns nem imaginam.

Por essa mesma estrada vou seguindo, e ainda sem saber o que encontrarei do outro lado, talvez eu nem sinta mais o chão por onde caminho, pode ser que ele tenha desabado diante dos meus pés tão acostumados a caminhar por pontes imaginarias.

Ao seu encontro, sua voz se apaga, restando-me apenas uma face, e enquanto seus lábios se movimentavam em um ritmo acelerado , só me restavam rápidas projeções, iniciando minhas prazerosas ilusões. Logo volto a ouvir e me desligo desse mundo que criei, sem lutar para que ele exista algum dia...

Vejo que esta perto, um desconhecido fim vem vindo, ou um inusitado começo ou até quem sabe seja só mais uma dessas minhas loucas utopias.

0 comentários:

Postar um comentário