27 de agosto de 2010

Eleições 2010 - A opinião sobre a segurança da Urna Eletrônica

Escrito por Carlo Tres
           Após uma incessante reflexão , acabei encontrando , já escrito o post de hoje com palavras tiradas da minha boca.O nome dele é Flavio , encontrei esse texto em um comentário sobre a questão da segurança das urnas eletrônicas.

Divirtam-se.


"
Quem fala de voto em papel não tem a menor noção do que era uma apuração manual. Vocês acham que era difícil fraudar uma apuração sem ninguém ver? Ledo engano.
Funcionava assim: um mesário, ao ler o voto, simplesmente falava o nome de outro candidato. Se ele estivesse sendo muito vigiado e quisesse mudar um voto dado a um candidato que ele não queria, ele podia simplesmente pegar uma caneta e marcar o voto para mais outro candidato, efetivamente anulando o voto. E se pegasse voto em branco, marcava para o candidato dele. E isso é que vocês querem como segurança? Para mim não, obrigado.
Esse ranço de achar que tem fraude na apuração é balela. Como alguém que trabalhou lá, digo que não é difícil, mas realmente difícil sequer tentar fazer algo. A estrutura de segurança usa One Time Passwords vinculadas a chaves individuais, só uma meia dúzia de pessoas pode logar na máquina durante a apuração (e fazer pouca coisa), tudo com logs locais e remotos variados. Se o cara conseguir passar por tudo isso (e mais um montão de outras coisas de segurança que não posso falar e outras que mudam a cada eleição), então o cara merece conseguir fraudar a eleição. Ele só tem que ser MUITO rápido pois são processadas muitas urnas por segundo e cada ataque tem que ser a cada urna, antes dela ser processada. E não, não dá para atacar o sistema central, seja nos TREs ou no TSE, a totalização de votos é muito rápida e segura e pode ser verificada por zonas eleitorais que os partidos podem conferir somando os boletins de urna.
Vou repetir algo que já falei antes: é muito mais fácil manipular o eleitor que o sistema de apuração. Em Maceió, por exemplo, todo ano tem Exército por lá. Sabem porquê? Por que os jagunços dos políticos mais conhecidos de lá vão a certos bairros e anunciam aos quatros ventos que querem X votos para o candidato tal ou senão eles passam metralhando. E passam metralhando mesmo. Para que tentar fraudar a apuração se você controla o voto? Um par de jagunços, gasolina, armas e munição é muito mais barato que tentar um ataque sofisticado e que envolveria muita gente graúda (se for tecnicamente viável, é economicamente inviável).
Ou melhor, façam como no Maranhão, onde basta dar uns 10 litros de combustível e uns 2 sacos de arroz para comprar um voto. Exemplos assim são comuns, muito mais do que se imagina.
Até onde eu participei e vi a eleição, não dá para fraudar. Não adianta imprimir votos pois isso já foi feito antes e não mostrou nem um voto sequer de diferença entre a contagem manual e a eletrônica. Sim, pesquisem que isso já foi feito antes, como não deu diferença e aumentou muito os problemas de urnas (as impressoras travavam depois de horas imprimindo), eles desistiram dessa bobagem.
Tenho uma sugestão para os paranóicos: Solicitem ao TSE que vocês possam extrair uma urna já colocada no local de votação, de forma aleatória, na hora da eleição começar e que o TSE substitua aquela urna por uma nova. Aí vocês pegam esta urna e façam votações simuladas nela e emitam o boletim de urna e contem os votos que fizeram. Igualmente peçam para que o boletim em formato eletrônico, armazenado na urna, seja extraído e mostrado, para ver se bate também. Assim vocês terão certeza que a urna não foi fraudada.
Faço uma pergunta a vocês: se vocês tivessem a galinha dos ovos de ouro nas mãos, cozinhariam ela para ser o jantar? Imagino que a resposta seja não. Pois a Justiça Eleitoral poderia facilmente ser substituída por qualquer TRF sem problemas, exceto por organizar as eleições e fazer isso de forma limpa. Se a Justiça Eleitoral passar a manipular votos, alguém vai descobrir, é fato. E eles perderão verbas muito grandes para organizar as eleições e ainda podem ser extintos sem problemas quanto à apuração de desvios eleitorais (qualquer juiz pode aprender a legislação eleitoral e muitos já são oriundos dos TRFs mesmo).
Me orgulho de ter sido funcionário (concursado) do TSE e ver que as coisas são feitas com dedicação, cuidado e muita segurança. O que acontece é que a urna é brasileira, aí nossa cultura de achar que brasileiro é tudo ladrão, nos força a acreditar que alguém tem que roubar alguma coisa na apuração, só não sabe como e nem porquê. Brasileiro, honesto? Se tem brasileiro, tem alguma trambicagem, só precisa continuar procurando que acha. O cultura maldita, herença que deveríamos apagar da nossa mente. Se fosse uma urna alemã ou japonesa, ah, aí era diferente, os gringos não são ladrões como os brasileiros, certo?. Perguntem aos americanos se isso é verdade?
Flávio "

0 comentários:

Postar um comentário